quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

Reflexão do dia

"Exige muito de ti e espera pouco dos outros. Assim, evitarás muitos aborrecimentos. "
(Confúcio) 

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Ciro Gomes fala sobre Dilma, Cunha, mídia, ajuste fiscal e eleições 2018











Votei em Ciro Gomes em 98. Porra louca, dirão alguns. Mas fala quase tudo que

eu penso do momento atual. Será que ele vem em 2018? Como não voto no

pt, nem na tucanada que manda a PM bater em professor e aluno, seria minha opção.

.

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Recital

Marcado para o próxima sexta-feira, dia 13 de novembro, em promoção do Orfeão de Santa Cecília, acontece inédito Recital de piano e canto com o duo formado pelos notáveis músicos Eladio Pérez-González (barítono) e Berenice Menegale (piano), reunindo seleto repertório de música brasileira. A sensibilidade e o talento técnico-musical da consagrada dupla de cameristas atuantes em nosso país estarão diante da plateia campista na Sala do Espelho da Casa de Cultura Villa Maria, a partir das 20 horas, com entrada franca. No programa estão incluídos dois trabalhos do maestro campista Henrique Braga (1845-1917), nome que figurou com destaque na coletânea “Resgate da memória sonora de Campos”, lançada em 2014 com relíquias históricas da vida musical campista.

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Saiba quando o amor começa - Por Xico Sá (Às vezes a gente acha que o amor começa à primeira vista. São os amores mais demorados para pegar no tranco)

                                                                              André Tambucci (Fotos Públicas)


"Ao ver somente esta semana o imperdível drama erótico Love (direção Gaspar Noé), refletia, mirando a minha lindeza de oclinhos 3D na cadeira ao lado do cine Reserva (SP), como havia iniciado algumas histórias de amor. A do filme começa da forma mais banal do mundo, por capricho do acaso, troca de olhares de dois belos jovens (os atores Karl Glusman e Aomi Muyroc) e senta que lá vem cenas calientes ali a um palmo do seu nariz tridimensionado.
Sim, como todo amor de verdade, há tédio, ciúme, melancolia, flerte com a tragédia, ideia de abismo etc. Mesmo em Paris, esse clichê da lua de mel eternamente restaurável.
O que interessa no momento, porém, é especular em torno do fiat lux do amor, aquele misterioso Gênesis, o princípio de tudo. Sobre o the end que encerra a subida dos descréditos na tela amorosa, bem, temos uma das melhores crônicas desse país de cronistas e conspiradores: O amor acaba, de Paulo Mendes Campos, de 1964 –você encontra em livro homônimo na praça.
E quando o amor começa? O órfão da tempestade, capixaba Carlinhos Oliveira, outro bamba do gênero, brincou com uma resposta ao mineiro PMC, nos anos 1960. Várias vezes tentei e escrevi algo também, sem o talento dessa dupla que admiro.
O filme Love, algumas taças de vinho e o olhar de minha Zazie no metrô da Paulista, me reinspiraram nessa peleja. Volto ao infindável tema. O amor começa e recomeça no cinema. Todo início de amor requer pegar uma tela. Se for filme de aventura ou comédia, que as duas mãos se encontrem, por acaso, no mesmo fundo de um saco de pipoca em busca dos últimos farelos. Se for suspense ou terror, aquele aperto de mão intervalado dita o ritmo da sístole e diástole. Diante de muito medo, quem sabe, ela deitará pela primeira vez sobre seu peito, você a receberá como para sempre, ave!.
Às vezes a gente acha que o amor começa à primeira vista. São os amores mais demorados para pegar no tranco. Parece um crediário-tentação de 24 prestações naqueles tempos de inflações acima dos 80% da ditadura e desemprego brasileiro dos anos 1990.
Recordo agora quando escrevi a primeira vez sobre o assunto, ainda inocente, puro e besta e quase virgem em levar tocos e pés na bunda:
O amor começa, vos digo, em uma noite de sexta, a noite do pecado por excelência, o amor de uma comerciária que saiu de casa de vermelho, calcinha no capricho, crente que o amor principiaria, ela leu no horóscopo, Sagitário seu signo, o amor principiaria, qual o Gênesis, calcinha no esmero, o fiat lux, antes do último ônibus, no barzinho, na vida simples da música ao vivo, lua cheia, papel crepom, batata frita, o beijo-ou-não-beijo, “será que ele presta?”, ela indagava ao cosmo.

Flerte nas redes sociais

Óbvio que o amor pode começar de um simples flerte nas redes sociais, embora essa historinha me leve a uma conclusão do escritor norte-americano Jonathan Franzen no livro Como ficar sozinho (Companhia das Letras, 2012): “O simples fato é que a tentativa de ser perfeitamente curtível é incompatível com os relacionamentos amorosos”.
Já comecei sim amores em bate-papos de internet, como milhares de vocês. O meu atual romance, por exemplo, a moça de oclinhos 3D do cinema desta semana. Se bem que, pensando melhor, era um desejo envelhecido como meu uísque vagabundo 12 anos. Só o reencontro se deu por meios virtuais, depois de saber do fim do seu casamento.
Se bem que, pensando melhor ainda, o plá internético é só sopro. Costuma ser problemático quando fica apenas na virtualidade ou no lodaçal das mais escorregadias das promessas, mesmo com ensaios masturbatórios, sem avanços para amar olhos nos olhos (“deixa que minha mão errante adentre, entre”) e outras pegadas do gênero lírico, poético, prático...

Encontro d´almas

Há quem aposte que o amor é um encontro de almas, afinal de contas, como dizia Manuel Bandeira –como se deu mal no amor esse meu tísico poeta!-, os corpos podem se entender, as almas não. E quando só os corpos são chegados? O amor físico, ou chamemos essa onda apenas de sexo selvagem?, também não é uma forma de amar gostoso? Agora me enrolei todinho na metafísica sofisticada do grandiosíssimo pernambucano.
Então vamos apelar para o jogo das coincidências. Sabe aquele truque ou sinceridade de curtir mesmo a mesma banda (ainda estou no Love do Arthur Lee, ou Mutantes, quem sabe...), o mesmo escritor (Fup do Jim Dodge?), o mesmo seriado –sigo em Twin Peaks e por isso amo a minha Laura Palmer-, no mesmo cronista Paulo Mendes Campos, embora ache os novíssimos geniais...
Direita ou esquerda? Se for anarco-romântica-comuna-chuta-o-balde, melhor ainda. O jogo das coincidências conta com um certo charme old school, vintage, passadista, afinal de contas, no jogo das coincidências é importante que você torne a sua escolha a mais inesperada possível. Poeta preferido? Baudelaire ou Patativa do Assaré. A preferência não importa. O que vale é a sustança da pronúncia e da convicção, por mais eclética. Patti Smith? Amo! Assim comecei um dos amores derradeiros.
O jogo das coincidências fica muito fácil cada um na sua casa, com direito a buscas. O lindo mesmo, todavia, é o jogo das coincidências verdadeiro, olho no olho, longe do alcance do Google, quando a gente vê que a pupila dilata com o colírio da mesma forma de ver o mundo
O começo do amor depende muito desse capítulo inicial, quase um prefácio obrigatório, mesmo que depois tudo isso vire apenas um jogo dos contrários. Ficar com tesão ao ver o filme Love, yes, pode ser um belo princípio. Convide a moça, convide o rapaz, afinal de contas é raro um drama que case o tesão do pornô com sinceros, embevecidos e enlevados sentimentos. Rende assunto e, quem sabe, uma trepada homérica capaz de curar o amor platônico, como sempre me repete, em eco sem fim, o poeta marginal Eduardo Kac.
Ah, cuidado ao brincar de triângulo amoroso, a vítima pode ser você. É outro grande momento do filme. E dito isto não terei entregue nem 10% da fita. Imagina."

Xico Sá, escritor e jornalista, é autor de Um cão vadio aos pés de uma mulher-abismo (editora Fina Flor), entre outros livros.

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Raça superior- Por Fabricio Carpinejar








Quer a prova definitiva da superioridade feminina? A mulher tira o sutiã sem tirar a blusa. É um superpoder.

Não existe operação idêntica masculina. O homem não tira a cueca sem tirar a calça, nem tira a meia sem tirar o sapato, muito menos tira a regata sem tirar a camisa por cima.

O que ela faz é mágica, contorcionismo de circo, desenho animado. Ela solta o fecho com uma mão, passa uma tira pelos ombros e braços com a outra, e pronto. Três gestos, três segundos. Pena que não é uma modalidade olímpica.

Utiliza a própria aparência como tenda, como biombo, como camarim, para evitar olhares indiscretos. Troca de roupa sem ninguém perceber. Pode fazer no carro, no trem, no elevador, no restaurante, em qualquer parte.

A impressão é que tem ossos flexíveis, remove o osso do lugar e põe de volta.

Coisas de ninja, de samurai. Aceite apenas que a mulher é uma raça superior, e admire os seus milagres.

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Curto e grosso




Patética a entrevista do ilustre deputado Pudim publicada ontem na Folha da Manhã e no Blog "Opiniões". Caso tenha estômago, leia aqui.  "Silêncio obsequioso" ele teve por trinta anos, tempo em que permaneceu ao lado do Poderoso Chefão, acatando tudo que lhe era imposto . Agora quer aparecer como oposição? Não dá para engolir essa. 
Mas o partido escolhido pelo deputado lhe cai muito bem. Até porque já pertenceu aos quadros do PMDB, como se vê nessa foto.
Sugestão para seu slogan de campanha:
Pudim: sempre bem acompanhado.
‪#‎ForaGarotinhos‬ ‪#‎ForaPudim‬

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Ricardo Boechat e seu importante depoimento sobre a depressão

Sou ouvinte habitual do jornalista Ricardo Boechat na Rádio Band News FM.
Há cerca de 2 semanas, Mestre Boechat não apresentava seu programa
matinal. Eu e milhares de pessoas ficamos preocupados, visto que nada
era informado oficialmente. Há alguns dias, ele voltou à bancada do
Jornal da Band, de onde também estava afastado. Mas apenas hoje Boechat
nos brindou com seu retorno aos microfones da Band News FM. Não sem antes 

explicar o motivo desse repentino afastamento: um surto
depressivo agudo, minutos antes de entrar no ar.
Ouçam o corajoso e importante relato de Boechat sobre o assunto:
De minha parte, a torcida para que Mestre Boechat se recupere plenamente. E
continue a nos brindar com sua inteligência e genialidade! 

De longe, estarei orando muito por ele.

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Por que odiar o PT - Por Gregório Duvivier


Obrigado, Gregório Duvivier!
Mais uma vez, você me representa!
E para reforçar: sou contra qualquer tipo de golpe que tire Dilma da presidência. Mesmo achando seu governo muito, mas muito fraco mesmo.
Até o momento, não vi nada que comprove seu envolvimento em qualquer falcatrua.


Por que odiar o PT - POR  GREGORIO DUVIVIER, na “Folha de São Paulo” de hoje.






" A primeira vez que me deparei com uma urna eletrônica foi para votar no Lula.
E Lula se elegeu, depois de três tentativas malfadadas.
Lágrimas grossas escorriam pelo meu rosto: com a prepotência característica dos 16 anos, tive a certeza de que era o meu voto que tinha feito toda a diferença.
A rua estava cheia de pessoas da minha idade que tinham essa mesma certeza.
O Brasil tinha acabado de ganhar uma Copa do Mundo, mas a euforia agora era ainda maior: foi a gente que fez o gol da virada.
Parecia que o Brasil tinha jeito, e o jeito era a gente –essa gente que nasceu de 1982 a 1986 e votava agora pela primeira vez.
Acabaram-se os problemas do Brasil –a gente chegou.
Lembro das ruas cheias, das bandeiras do PT, lembro de abraçar desconhecidos na Cinelândia –Lula lá, brilha uma estrela.
Logo vi que não era o meu voto que tinha feito o Lula se eleger, nem o dos meus amigos, nem o da minha geração.
Quem elegeu o Lula –isso logo ficou claro– foi o José Alencar, os Sarney, o Garotinho, foi aquela Carta aos Brasileiros e a promessa de que o Lulinha era Paz, Amor e Continuidade.
Sobretudo continuidade.
Lula só alugou esse apartamento por quatro anos porque assinou um contrato de locação onde prometia entregar o imóvel i-gual-zi-nho.
E Lula, por quatro anos, foi um inquilino dos sonhos –tanto é que renovou o contrato e ainda foi fiador da locatária seguinte.
Fizeram algumas mudanças –as empregadas passaram a ganhar mais–, mas não fizeram o mais importante: uma desratização. Muito pelo contrário: os ratos de sempre fizeram a festa.
Caros amigos que odeiam o PT: podem ter certeza de que odeio o PT tanto quanto vocês –mas por razões diferentes.
Odeio porque ele cumpriu a promessa de continuidade.
Odeio porque ele não rompeu com os esquemas que o antecederam.
Odeio por causa de Belo Monte e do total descompromisso com qualquer questão ambiental e indígena.
Odeio porque nunca os bancos lucraram tanto.
Odeio pela liberdade e pelos ministérios que ele deu ao PMDB.
Odeio pelos incentivos à indústria automobilística e à indústria bélica.
Odeio porque o Brasil hoje exporta armas para Iêmen, Paquistão, Israel e porque as revoltas do Oriente Médio foram sufocadas com armas brasileiras.
Odeio porque acabaram de cortar 3/4 das bolsas da Capes.
O PT é indefensável –cavou esse abismo com seus pés.
Mas assim como não fomos nós que elegemos Lula, engana-se quem vai às ruas e acha que está tirando Dilma do poder.
Quem está movendo essa ação de despejo são os ratos que o PT não teve coragem de expulsar."

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Uma pitada de Lya Luft para começar bem o dia



"Que a gente se divirta sem se matar, que ame sem se contaminar, que aprenda sem se enganar, que viva sem se vender."

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Tons de Gil & Caetano amanhã no SESI


Semana passada tive a oportunidade de ver um showzaço da banda Cântarus - a melhor da região, na minha opinião- no Teatro do SESI, em nossa cidade.
E amanhã, mais uma belíssima opção cultural, MPB de primeira qualidade com o grupo Criado Mudo:


terça-feira, 21 de julho de 2015

Ed Motta faturando com polêmica


Meses após a polêmica em que se meteu, ao avisar pelo Facebook, a brasileiros que quisessem ir aos shows de sua turnê na Europa que não falaria ou cantaria músicas em português nas apresentações, o cantor Ed Motta vai encher o cofrinho. 
Ele agora é o protagonista de um comercial do site "Imovelweb". Na propaganda, gravada dentro de um estúdio de música, Ed diz que está pensando em cantar em norueguês, porque é "mais primeiro mundo", e também comenta com seus músicos que está querendo um novo apartamento.
No fim, ainda faz uma brincadeira com "Manoel", grande sucesso do começo de sua carreira, mas que na polêmica de abril, recebeu o seguinte tratamento do cantor: "
“Então, pelo amor de Deus, não venha com um grupo de brasuca berrando ‘Manuel’, porque não tem”
Confira o vídeo.

Para pensar....

Cada vez que te encontrares do lado da maioria, é tempo de fazer uma pausa e refletir.
(Mark Twain)

Perguntar não ofende


Alguém em Campos acredita DE VERDADE no rompimento entre a família Garotinho e Geraldo Pudim??
Quem poderia ajudar a decifrar este enigma é o deputado. Mas ele prefere se calar. Estranho....

quinta-feira, 9 de julho de 2015

José Claudio no IMTT: Agora vai!!!




Juro que tentei me lembrar do jingle do Cicle Bom Jesus que rolava na década de 90. Mas não consegui. Naqueles tempos, a loja era uma das maiores da região. E o então comerciante, José Claudio de Oliveira Martins, chegou a ser eleito deputado estadual, com expressiva votação.
Eis que hoje, vi no blog "Eu penso que.." de Ricardo André, que o ex-deputado e proprietário da mencionada loja, José Claudio, será superintendente-adjunto do IMTT (Instituto Municipal de Trânsito e Transporte).
Quem sabe agora, com a chegada do ex-parlamentar, um especialista em bicicletas, no criticado IMTT, o trânsito em nossa cidade possa melhorar? Ou pelo menos, os ciclistas possam ser mais respeitados? 
Melhor ficar quieto.
À propósito: ainda existe Cicle Bom Jesus? 
(Dúvida de um campista que vive a maior parte do tempo em Macaé).

Pudim contra Garotinho. Alguém acredita? - Parte II

Pudim defende Garotinho e Rosinha contra ataques de Cabral em fevereiro de 2013.

E você? Acredita mesmo nesta ruptura??


Pudim contra Garotinho. Alguém acredita?


Será que tem alguém que vai cair nessa?
Espero que não.
Uma imagem vale por mim palavras.
E o defeito dele "é ser bom demais".  
Palavras de seu Mestre e amigo, Anthony Garotinho.


sexta-feira, 3 de julho de 2015

Charges do dia- Maioridade Penal


                                                                Sinfrônio


                                                                       Fred



                                                                      


                                                                        Mário

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Situação do Ferreira Machado: E agora, Garotinho?


Quem vive em Campos e não é borra botas de Garotinho e sua turma, sabe muito bem que a saúde em nosso município é uma piada de mau gosto. Um (des) governo desleixado e que dá mais uma mostra dessa condição. Minha solidariedade aos funcionários do Ferreira Machado e a todos que precisam ser atendidos lá.

Do blog do Bastos, um dos mais combativos de nossa cidade:

"
      Reprodução/Inter TV

Reprodução/Inter TV

Uma equipe do Ministério Público Federal (MPF) esteve na manhã desta terça-feira (12) no Hospital Ferreira Machado (HFM) e encontrou pacientes revoltados. Além da superlotação da emergência, com diversos pacientes no corredor, a equipe do MPF, com apoio da Polícia Federal (PF), ouviu relatos e fiscalizou setores da unidade, como departamento pessoal, emergência e farmácia, além de checar a escala de plantão. Após a vistoria, três profissionais responsáveis por medicamentos e instrumento cirúrgico com prazos de validade vencidos, teriam sido encaminhados à 134ª Delegacia de Polícia. O diretor do HFM, Ricardo Madeira alega ter comparecido a delegacia como testemunha.
Mais cedo, a equipe de reportagem da Folha entrou em contato com um membro do MPF, que relatou a prisão em flagrante de três responsáveis pelo HFM, entre eles o diretor Ricardo Madeira. Porém, a delegada Nathála Patrão relatou que “foi lavrado um auto prisão em flagrante de seis pessoas. Essas pessoas foram as responsáveis por manter o remédio, o medicamento impróprio para consumo armazenado. Então, a gente se direcionou pela responsabilidade penal pessoal não lavrando prisão em flagrante em face do diretor do hospital, que tem diversas funções e delega e apenas o responsável direto pela manutenção deste medicamento impróprio para o consumo no armário é que foi conduzido e preso em flagrante. Todos pagaram fiança e foram liberados”.
Parte dos medicamentos vencidos foram encontrados na farmácia da pediatria. Após deixar a Delegacia, no final da tarde, Ricardo Madeira comentou: “Foram encontrados medicamentos vencidos sim, mas, toda a equipe de saúde do hospital é orientada a olhar o prazo de validade dos medicamentos antes de usá-los. Vamos abrir processo administrativo para averiguar se houveram falhas e de quem”, afirmou Madeira.
Entre os itens vencidos estavam recipientes de coleta de sangue, vários frascos de glicose e algumas unidades da ampola de injetável Clorpomax Clorpromazina, substância antipsicótica clássica ou típica, sendo protótipo no tratamento de pacientes esquizofrênicos.
Em entrevista à Inter TV, durante a vistoria, uma senhora desabafou: “Isso é uma humilhação. Tem animal que é melhor tratado em Pet Shop do que a gente aqui”. Um jovem, em uma maca no corredor, disparou: “Estou aqui me sentindo um lixo. Faltam até itens básicos para fazer a cirurgia. Além disso, não tinha ambulância para me trazer. Enquanto isso, a cidade conta com um monte de ambulâncias paradas”, protestou. A equipe da Folha da Manhã também esteve no local e acompanhou a vistoria.
Uma jovem que acompanha a mãe também aproveitou a presença do MPF para relatar um suposto descaso. “Minha mãe está aqui há nove dias e não tem um diagnóstico. Ela sente muita dor e ninguém sabe dizer o que é. Na noite passada fui pedir a uma enfermeira para dar o remédio e ela disse que não atuava naquela ala. Depois, enquanto jogava com seu celular, ainda disse que poderia dar, mas não deu porque eu não fui educada. E finalizou dizendo que não poderia ser demitida porque é concursada. Tem cabimento isso?”, disse a filha da paciente.
A equipe do MPF também constatou o eterno problema do elevador, que continua sem funcionar. Funcionários do HFM, que preferiram ter a identidade preservada, contaram que um elevador não estaria funcionando há cerca de três anos.
Segundo pacientes, a falta de leitos é a principal dificuldade. “Tenho um familiar de 37 anos que sofreu uma fratura na lombar e está internado desde o dia 20 de abril, sendo que já vai completar um mês. É necessário que seja feita uma cirurgia, mas até hoje nada foi feito e ele está aguardando desde então. Até agora não sabemos quando ele vai operar”, disse.
O diretor do HFM, Ricardo Madeira, informou que a porta de entrada do Ferreira Machado é grande, mas a de saída é estreita. “Recebemos muitos pacientes. A maioria, por conta de traumas. Antes, essa demanda era dividida com o Hospital Plantadores de Cana e com a Beneficência Portuguesa, mas o número de atendimentos nessas unidades diminuiu e estamos recebendo um número maior. Foi estabelecido um contato com a Santa Casa de Misericórdia, que vai colocar alguns leitos a nossa disposição a partir do dia 18, segunda-feira próxima. Quero crer que o problema vai diminuir muito”, comentou.
Indagado pela Folha sobre os problemas, ela ressaltou que não faltam médicos ou medicamentos. “Para melhorar questão de controle de frequência de médicos, catracas para ponto, com previsão para junho, e câmeras, com previsão para julho, estão sendo instaladas”, disse Madeira.
Sobre o elevador, Ricardo Madeira explicou que já foi feita uma licitação e a instalação do novo equipamento dependente de uma obra estrutural.
Em relação a denúncia sobre a enfermeira que teria se negado a atender uma paciente, a assessoria do HFM informou que a profissional deve ser identificada e o caso encaminhado à Ouvidoria do hospital. A assessoria salientou que um processo administrativo poderá ser aberto."